Guadalupe: Mãe da América Latina

No dia 12 de dezembro “celebra-se a festa de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira de toda a América. Aproveito o ensejo para saudar os irmãos e irmãs daquele Continente, e faço-o pensando na Virgem de Tepeyac.

Quando apareceu a São Juan Diego, o seu rosto era mestiço e as suas vestes, cheias de símbolos da cultura indígena. Seguindo o exemplo de Jesus, Maria está ao lado dos seus filhos, acompanha o seu caminho como mãe atenciosa, partilha as alegrias e esperanças, os sofrimentos e as angústias do Povo de Deus, do qual todos os povos da terra são chamados a fazer parte.

 

A aparição da imagem da Virgem na tilma (manto) de Juan Diego foi o sinal profético de um abraço, o abraço de Maria a todos os habitantes das vastas terras americanas, a quantos já estavam ali e aos que teriam chegado depois. Este abraço de Maria indicou a senda que sempre caracterizou a América: é uma terra onde podem conviver povos diversos, uma terra capaz de respeitar a vida humana em todas as suas fases, desde o ventre materno até à velhice, capaz de acolher os emigrantes, os povos, os pobres e os marginalizados de todas as épocas. A América é uma terra generosa.

Esta é a mensagem de Nossa Senhora de Guadalupe, e esta é também a minha mensagem, a mensagem da Igreja. Encorajo todos os habitantes do Continente americano a manter os braços abertos como a Virgem Maria, com amor e ternura.

Caros irmãos e irmãs da América inteira, rezo por todos vós, mas

também vós orai por mim! Que a alegria do Evangelho esteja sempre nos vossos corações! O Senhor vos abençoe e a Virgem vos acompanhe!” (Homilia do Papa Francisco em 12/12/2015)

GUADALUPE EM MINHA VIDA, ENQUANTO CONSAGRADO

Sempre tive um carinho e uma admiração muito grande pela imagem de Guadalupe, mesmo na época que eu era protestante, eu não tinha amor pela imagem, mas a admirava pela forma que ela havia aparecido e pelo fato de ninguém conseguir explicar.

Com todo o tempo de “reabilitação” religiosa, por sair de uma religião que não aceita Nossa Senhora da forma que ela deve que ser aceita e amada e ir para uma que busca sempre honrar e amar, essa doce e augustíssima mãe; fiquei muito interessado em buscar saber cada vez mais sobre ela, buscar cada vez mais tentar “recuperar” o tempo em que virei as costas pra ela, o tempo em que eu não a honrei como ela merece.

Tempos depois conheci a consagração a Jesus pelas mãos de Maria, onde São Luiz Maria Grignion de Montfort diz que nos damos totalmente a Jesus pelas mãos sagradas e virginais da Santíssima Virgem, assim depositando totalmente nas mãos dela todos os nossos bens materiais e espirituais, todos os nossos méritos internos e externos, para ela usá-los como bem quiser. Para ela usá-los na salvação de outras Almas. Fiquei apaixonado por toda essa beleza e toda espiritualidade dessa devoção, desse modo de vida, onde nos “anulamos” para servir e buscar salvar o próximo, mas apareceram muitas dúvidas se eu era digno de tal devoção; se seria capaz de tal espiritualidade e compromisso, e foi assim que, da mesma forma que ela apareceu ao índio São Juan Diego, ela veio e me disse a mesma frase, “não fiques aflito, não estou eu aqui, que sou sua mãe? Você não está debaixo da minha sombra e sob o meu cuidado? Não sou eu a fonte da sua alegria?”, e de lá para cá nunca mais abandonei essa doce e amorosa mãe, de lá pra cá foram dissipadas quaisquer dúvidas que poderiam ter aparecido em minha mente sobre me entregar totalmente a essa tão amorosa mãe!

Hoje sou todo de Jesus pelas mãos de Maria, consagrado pelo título de Nossa Senhora de Guadalupe, essa mãe que jamais me abandonou, mesmo em todo tempo em que eu não a aceitava como minha mãe e medianeira, e busco sempre passar esse amor e proteção dela para outros. Hoje graças à intercessão dela, temos na Paróquia São Judas Tadeu o Grupo Mariano Totus Tuus Mariae, que se encontra todos os sábados as 17h, onde crianças, jovens e adultos, que buscam saber mais sobre essa doce mãe, são convidados descobrir um amor tão grandioso e sentir verdadeiramente a presença dela. Por isso sou tão apaixonado por ela, por Nossa Senhora, ela que em todos os momentos se faz tão presente em nossas vidas!

Paz e bem!
Salve Maria Imaculada!

Marcos Aurélio
(Consagrado à Nossa Senhora, sob o título de Guadalupe, em 12 de dezembro de 2015)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.